quarta-feira, 23 de maio de 2018

A roda viva da vida

          Os meses são marcados por datas comemorativas como carnaval, páscoa, dia das mães, dia dos namorados, dia de são joão...Natal, Ano Novo. E pronto! Acabou o ano. Quando vê tudo acabou. E tudo começa novamente.  Nesta roda viva vamos criando história onde todos somos personagens importantes para fazer do mundo um lugar bom de estar. Você está bem? Acredito que a maioria das pessoas vai responder que sim. Sim! Está tudo bem! Vamos comemorar o dia D qualquer coisa. E ainda que decisões políticas não estejam de acordo com nossos ideais de sociedade justa vamos ficar bem. Porque assim teremos mais sabedoria para mudar o que pudermos mudar. Estar bem não significa estar conformado com tudo. Hoje leio notícias sobre o preço da gasolina e a greve... Então paro e penso: Tudo bem. Estou bem. Tudo vai ficar bem. E a roda viva vai girando, os meses vão passando e em nossos dias e horas contados vamos realizando nossos trabalhos, agendando nossos encontros, viagens de lazer, estudos ou negócios, cada um sabe o que lhe compete, mas tem aqueles que decidem por muitos. E a roda viva da vida gira...Sabe! Estou ficando tonta! 

sábado, 31 de março de 2018

Páscoa! Um novo tempo

Morrer, ressuscitar. Como entender? JESUS CRISTO venceu a morte, a dor, a cruz, RESSUSCITOU. Um amor tão grande, tão imenso por nós...tão confortante pensar assim. E melhor ainda é Nele crer.
Um novo mês vai começar, um novo dia vai nascer, início de uma nova semana. E tudo se faz novo. Páscoa! Um novo tempo!
FELIZ PÁSCOA! FELIZ VIDA!

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Transformando sonhos em realidade

                      O mundo da voltas e voltas e nestes giros nem imaginamos que podemos encontrar nossos sonhos perdidos pelo caminho. Foi assim que um dia comecei a escrever para um jornal cultural, depois de um tempo que eu já tinha até perdido este sonho, o desejo de escrever sobre assuntos culturais. Na época de 1976 por aí eu tive o desejo de ser jornalista e então fui estudar em um curso técnico de redator auxiliar, segundo conselhos que recebi o mais adequado para mim. Meus estudos de segundo grau foram voltados para o jornalismo em Santana do Livramento. Fiz estágio na Folha Popular um jornal diário da época, onde aprendi as técnicas de jornalismo, basicamente tudo que era preciso para escrever notícias, fazer reportagens e entrevistas (como era antigamente). Mas o que me fazia querer ser jornalista era a vontade que eu tinha de ser escritora e através da minha escrita alcançar o maior número possível de pessoas no mundo ajudando de alguma forma a fazer com que se sentissem mais feliz, convidando a pensar junto comigo, sonhar, questionar, refletir, algo assim, que nem sei bem descrever com palavras e mais palavras. Então, em 2005, um bom tempo depois pelas trilhas do teatro me aproximei dos jornalistas levando resumo das peças teatrais que eu trabalha, para publicação. Para resumo do assunto comecei a escrever sobre teatro no jornal cultural Tal&Qual assinando os textos com meu nome artístico Laura Laureano (atriz). O convite feito por um estagiário de jornalismo me levou até Nina de Almeida a diretora do jornal. A Nina era uma senhora com mais de 80 anos por quem tive muita admiração, jornalista, poetisa, escritora, muito sociável, conhecia pessoas do mundo inteiro...um dia a Nina foi embora para o céu, muito eu poderia falar sobre nós duas mas não agora. Quero falar dos desejos que temos e que as vezes parecem perdidos para sempre, mas será? Depende, pois eu me realizei escrevendo para o jornal Tal&Qual, jornal de bairro, distribuído gratuitamente por alguns lugares culturais da cidade de Porto Alegre e também encaminhado para outros Estados e Países, pois muitos poemas eram publicados vindos de escritores de outros Países. O primeiro texto que publiquei foi um comentário sobre a peça de teatro "Homens de Perto". Escrevi livremente, com aquele pensamento de tempo de "copydesk" quando um texto antes de ser publicado no jornal passava por um revisor, mas esta revisão não aconteceu, porque não é mais assim, as coisas mudam. Quando vi o texto publicado levei um susto dos meus erros, mas foram mais por causa de um teclado desconfigurado. Escrevi muito, publiquei muito mas sempre com nome de Laura Laureano (atriz). No jornalismo a minha visão política ficou mais clara, porque também tive mais proximidade com a política, com o que fazem.
Conheci melhor quem é quem. Participei de muitos seminários, palestras e eventos em geral sobre a profissão de jornalista, muitos destes por intermédio da ARI - Associação Riograndense de Imprensa. Mesmo não tendo me formado numa faculdade de jornalismo me senti realizada. E agora posso publicar para o mundo em espaços que eu mesma me dou e isto é fantástico. Um sonho que parecia perdido, mas reencontrei e tornei realidade, isto é, escrever para o mundo, livremente. Pensando em fazer faculdade de jornalismo fui até a universidade ULBRA, mas por "enes" razões acabei me matriculando na faculdade de Direito, o que mais me pareceu um chamado que uma escolha. Então tá. E agora estou estudando do jeito que consigo. E na área do Direito já adquiri bastante experiência em estágios, também me realizei trabalhando dentro dos cartórios no foro central revisando processos e também em atendimento ao público na Defensoria Pública. Sempre estudando. Mas o sonho de ter um diploma de curso superior já realizei há muito tempo com a faculdade de ciências contábeis. Para quem pensa que são estudos contraditórios, ledo engano, pois todas as áreas estão interligadas precisando umas das outras. Pensando em dinheiro...tanto estudo...precisa? Não sei. Tem tantas outras coisas. E assim vou tentando transformar sonhos em realidade.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Estrela guia

Em teus caminhos
com passos de luz
sou a estrela distante
que te guia do infinito
com meu ser iluminado.





Segredos de liquidificador

               Mais uma vez carnaval.  "É festa na avenida...feliz estou de bem com a vida...lá vou eu". Da vontade de sair dançando pelas ruas, cantar, sorrir, dançar, mas a minha vontade de encontrar uma forma de mudar "algo" é maior. Então fico estudando, pesquisando até altas horas, cá pensando em segredos de liquidificador. Tem coisas na vida que não fazem parte da nossa história somente, por isso nem dá para ficar escrevendo, pois se queremos respeito devemos respeitar. As vezes penso que minha vida é um livro aberto, mas tem páginas que vou jogando no liquidificador e transformando em papel reciclado, onde acredito que posso até mudar o rumo da história escrevendo com outras palavras. Vejo tanta agressividade em comentários nas redes sociais que tenho me cuidado para não entrar nesta onda, pois eu quero um mundo de paz. Não somos sozinhos na caminhada, não estamos sozinhos nunca. Tudo nos envolve e a outros e outros. Embora me sentindo muitas vezes"nada" neste mundo me preocupo imensamente com a situação de nosso País. Eu não trocaria o Brasil por nenhum outro País do mundo, nem gosto quando escuto pessoas exaltando outros países e diminuindo cada vez mais o Nosso País citando como exemplo políticos sem nenhuma ética. O Brasil não se resume a um grupo de pessoas. Moramos num dos melhores lugares do mundo e que o mundo inteiro está de olho. Muitas coisas não são publicadas em jornais e revistas, nem anunciadas na televisão, portanto não dá para sair compartilhando tudo para que todos saibam, porque o que mais importa nem tem como compartilhar, o que chamo "segredos de liquidificador".

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Pensar em política

          Pensar em política é preciso gostando ou não. Nada me surpreende. Nossos "ídolos" ainda são os mesmos. Em quem votar? Somos acomodados? Parece que sim. A política parece "um filme que passa na televisão". Pensando. Mas já fiz a minha escolha para Presidente da República. Estarei observando. Não voto em branco.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Ano 2018

                    Estamos no ano novo. Já é! Esperei em silêncio desejando proteção. Precisamos de proteção dentro e fora de casa, em todo tempo. Parece que nada de diferente está acontecendo mas... A virada do ano é apenas um dia após o outro? Sim, mas a energia é diferente. O ano de 2018 para mim chegou como uma chuva forte da qual senti vontade de me proteger. O céu azul marinho estrelado com uma linda lua cheia parecia contradizer meus pensamentos, pois tudo estava tranquilo. Tudo está bem, mas precisamos sempre nos prevenir. Este vai ser um ano de muita política? Vai sim. Vamos aguardar as novidades.

FELIZ  ANO  DE  2018!

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Brilho e luz

Dourados brilhantes que se espalham em raios
de luzes que no espaço cintilam
mergulho em purpurina
saio na dança em sonhos de valsa
com risos de criança
boba vida
bobo da corte nesta corrida
para onde vamos brilhando em luzes que piscam
e se apagam...luzes que ficam e brilham
depois de muitas noites sem estrelas
ainda estamos a percebe-las.
Brilhos e luzes que ofuscam e
confundem
não vale pensar é preciso brilhar
ser luz somente
ser

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

O valor dos sentimentos

            Final de ano me leva a pensar na vida de forma mais analítica. Conversando com amigas sobre o que é mais importante para ser feliz e viver bem pensamos em muitas coisas, mas para mim, embora eu já tenha escutado algumas pessoas falarem "que importam os sentimentos!?", não vejo nada mais precioso que sentimentos. Podemos pensar livremente e até mesmo rirmos dos nossos pensamentos, mas dos sentimentos...complicado, nem sempre dominamos totalmente, sentir é formar laços, linhas invisíveis que vão se cruzando umas com as outras pelo mundo inteiro. Imagino quantos nós vão se formando e que só com diálogos eles podem ser desatados. Sentir é quase involuntário, até nem parece "algo inteligente" mas tudo tão irracional pois afinal é preciso pensar, pensar, pensar e isto significa não sentir muito. Será? Tenho sentimentos fortes de abalar as estruturas, e sendo assim aprendi que antes de querer entender tudo seja sobre o que for tenho que entender melhor e mais a mim mesma. Ah! mas isso vai acontecendo naturalmente, não é? Mas algo me faz parar quando quero escrever sobre fatos da vida, acontecimentos culturais, políticos, sociais, enfim me parece tudo sem importância aqui nas minhas páginas. Por certo navegar é preciso... mas se estiverem passando por aqui descansem um pouco de notícias e sintam apenas. Sentimento ilumina, cega, acalma, enfurece, esgota, anima, desanima, faz feliz e sofrer também e nem sempre pode ser uma escolha. Uma vez discutindo com um irmão eu mais chorei por ter que discutir com um irmão do que pelo fato em si. As lágrimas transbordam quando não há palavras nem outras formas para se expressar, as vezes surgem agressões lamentavelmente e tudo pela força dos sentimentos, também acontecem abraços e beijos...uniões e desuniões, somos movidos pelos sentimentos por mais  que o raciocínio se imponha. O coração o que é? "Beijo no coração" esta expressão me soa estranho, também "do fundo da minha alma", tantas formas de se expressar para declarar um sentimento profundo, mas olha eu não sou de muitas declarações, porém quando digo "do fundo da minha alma" é porque é mesmo, mesmo, mesmo, da minha alma, um sentimento tão grande e forte que nem cabe no coração. Porque estou falando de sentimentos? Parece que nada é dito. Pois bem, estou sentimental. Sinto pelos problemas dos outros. Um sonho que tive me fez escrever estas palavras. Um sonho onde alguém que já partiu deste mundo me entregava uma carta para que eu entregasse para um outro alguém que aqui está...então eu li o começo da carta e vendo para quem eu devia entregar, um sentimento de indiferença foi me cegando, um sentimento ruim devo dizer...porque devo me importar com quem não se importou comigo? Um sonho é simbólico, no entanto a mesma pessoa retornou ao meu sonho um tempo depois perguntando se eu havia entregado o recado, acreditem, bem assim, então respondi que não e ainda me expliquei, a pessoa retornou para o mundo além, triste, mas não muito, entendeu. Conclusão: sentimentos estão além da vida, não temos certeza de nada, mas sei o que senti, sei o valor dos sentimentos. E assim vamos colhendo os frutos. Que fazer? AMAR é a melhor solução para tudo, o amor incondicional, verdadeiro e puro é o bem mais precioso da face da terra. A maior conquista em nós, por nós mesmos, pelos outros e para os outros. Se um dia alguém mandar um recado lá do céu que eu possa entregar...mas não podemos se os laços não forem de paz. Mensagens de sonho, nem sempre são simples sonhos. 

domingo, 3 de dezembro de 2017

Gratidão

Que posso dizer por todos anos que vivi até então? Muito obrigada! Por tudo na vida, gratidão.
Não quero esquecer o passado mas lembrar, recordar sabendo que sou formada por tudo que fiz, por tudo que fizeram para mim, por todos os acontecimentos que direta ou indiretamente afetaram meus planos de como viver melhor neste mundo. A melhor coisa do mundo é aprender a ser feliz sozinha. Aprendi, mas levei muito tempo para entender que também somos parte um do outro que este "ser sozinha" não significa viver sozinha no mundo. Quer dizer, eu posso estar em paz comigo mesma onde quer que eu esteja. Entendeu? Eu não. Quando digo que não entendi minhas conclusões é porque nunca chego a conclusões finais e definitivas, então não me preocupo mais em ser completa, em entender tudo "tão bem", serei sempre incompleta caminhando em busca de algo mais para fazer. Agradeço a cada minuto, a cada palavra que posso escrever, ainda que assim, desse jeito, pois parte de mim lembra bem os dias em que me senti em frangalhos...então pelos caminhos da fé fui me reerguendo e hoje sou feliz como nunca imaginei que seria possível. Somos independentes na forma de sentir o mundo, não importam os acontecimentos, mas um turbilhão de tudo que se agita em nosso interior, em mim, em você é o pulsar da vida. Vivamos. Muito obrigada mundo! Obrigada por eu estar aqui no final de mais um ano. 2017! Amei. Dezembro estou vivendo, pensando na vida e agradecendo.