domingo, 10 de abril de 2011

A visita de Iracema

Fim de semana passada (sábado), minha amiga Iracema me convidou para ir ao cinema assistir ao filme "o discurso do rei", então fiquei esperando até que ela apareceu, nem pensando mais em ir ao cinema. Então conversou muito com a minha mãe que adorou a visita. Assim ficamos. Tomamos um café, conversamos e foi até melhor do que assistir filme. É muito bom sentar e conversar, sem contar as horas, uma visita de amigas, sem falar de trabalho, nem de problemas, e ainda rir de tudo por alguns momentos. Conheci a Iracema quando fui trabalhar na FEDERASUL em 1985, senão me falha a memória foi neste ano. Eu era datilógrafa da "seção técnica" ou "departamento jurídico", a minha função, portanto era elaborar e datilografar toda correspondência, contratos sociais, Atas, memorandos, datilografar as petições de advogados (escreviam a mão, pode?), essa coisa toda. A Iracema sentava do meu lado sempre me ajudando em tudo. Foi um período muito bom aquele em que trabalhei na Federasul (Federação das Associações Comerciais do RS), fui exímia datilógrafa e amava fazer aquele trabalho, não podia ter erros, e era preciso usar papel carbono para duas ou três vias, computador não existia no meu tempo lá dentro, depois até apareceu, mas não para mim. Fiz um curso de correspondência empresarial e pedi autorização para minha chefe para mudar a correspondência, pois os modelos que vi eram muito antigos, muito "cheios de floreio" até dizer o que realmente interessava. Aprendi que tinha que ir direto ao assunto, a chefe aceitou, foi ótimo, tudo mudou para melhor. E depois para pior, quando começaram a terceirizar os serviços e perdemos o emprego. A Iracema abriu um escritório de assessoria técnica empresarial (A.T.E), assim eu comecei a fazer alguns trabalhos junto com ela e nunca perdemos o contato, até hoje conversamos muito. Na primeira foto (a esquerda): Maria (minha mãe) e Iracema. Na outra foto, Eu e Iracema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário