quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Ser criança

O dia das crianças passou. A minha infância passou. Que bom que passou. Nem sempre a fase da infância é formada por dias felizes. A felicidade infantil é inocente e pura, mas existe um mundo que nos cerca desde que somos tão pequenos que não é tudo bom. Na minha infância passei por momentos difíceis, mas de forma interior e invisível, sentimentos. Criança também sofre, tem angústias e medos, pensa, age, reage. Depois de ter passado pelo juizado de infância e juventude, num período de estágio na Defensoria Pública não vejo mais o mundo infantil com os mesmos olhos. Não digo isso em relação as crianças, mas a tudo ao redor delas. Ser criança é enfrentar um mundo de gigantes, tudo é mais longe, tudo é maior do que parece, e todos são nossos amigos. E assim, a criança chora e ri, tenta de tudo que pode e acredita ser bom para ela. E em tudo precisa de ajuda. A criança vai observando os outros, descobrindo espaços, brincando com o que dizem para ela ser brinquedos, sem medo de errar. Mexe no que não deve, brinca com o perigo sem saber que corre risco. A criança confia e sente falta daqueles com quem está acostumada quando eles não estão por perto. A criança tem esperança de tudo sem saber o que é esperança. Tem fé sem saber o que é fé. Quando somos adultos questionamos tudo e desconfiamos de quase tudo. Mas também, como ser criança? Se não somos mais. O adulto é e deve ser um adulto com todas as responsabilidades, com todos os compromissos, com toda compreensão possível por uma criança e por aqueles que estão vindo depois deles. Pelo caminho vamos tropeçar, mesmo na vida adulta vamos levar muitos tombos, porque estaremos sempre tendo que aprender. Mas o aprendizado adulto é mais consciente, as vezes nem tanto, quebramos a cara. As vezes um choro infantil está lá guardado no fundo do coração, por que um "choro infantil"? Porque as vezes guardamos "um trauma" mesmo sem se dar conta, isso está presente no nosso ser e se manifesta de várias formas, nem tão invisível, em todos os seres do mundo. Ser criança sempre somos, com tudo que nos fez feliz, com tudo que nos feriu, com toda a esperança e fé. A fé em nós mesmos porque se estamos aqui "ainda" é porque nos superamos e fomos protegidos, e com muito esperança porque é preciso acreditar sempre que tudo no mundo pode ser melhor para nós, para todos que nos cercam e para todos que virão depois de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário